Demora não é negação

Quando Jesus soube que Lázaro estava doente, ainda se demorou dois dias no lugar onde estava. – João 11:6

O aniversário dos meus filhos é em dezembro. Quando eles eram pequenos, Ângelo logo aprendeu que se não recebesse o brinquedo tão aguardado no começo do mês, talvez ele o encontrasse embaixo da árvore de Natal. E se Davi não recebesse seu presente no Natal, ele poderia receber 4 dias depois, em seu aniversário. A demora não necessariamente significa negação.

Era natural para Marta e Maria chamarem Jesus quando Lázaro adoeceu seriamente (João 11:1-3). Talvez elas olhassem ansiosamente à estrada buscando sinais de Sua chegada, mas Jesus não veio. “Chegando Jesus, encontrou Lázaro já sepultado, havia quatro dias” (v.17).

Marta estava entorpecida, quando disse: “…Senhor, se estiveras aqui, não teria morrido meu irmão” (v.21). Então recuperando a fé, afirmou: “…sei que, mesmo agora, tudo quanto pedires a Deus, Deus to concederá” (v.22). Questiono-me sobre o que ela esperava. Lázaro estava morto, e ela temerosa sobre a abertura do túmulo. No entanto, por uma palavra de Jesus, o espírito de Lázaro retornou ao seu corpo em decomposição (vv.41-44). Jesus deixara simplesmente de curar seu amigo doente, para realizar um milagre ainda maior — trazê-lo de volta à vida.

Aguardar pelo tempo de Deus também pode nos trazer um milagre ainda maior do que esperávamos.

Leitura: João 11:21-35

— Marion Stroud

 

O tempo que investimos ao esperar em Deus jamais é desperdiçado.

Compartilhe seus pensamentos sobre devocional de hoje no paodiario.org.