Nós não desobedecemos ao Senhor de modo consciente e deliberado — simplesmente não o ouvimos. Deus nos deu Seus mandamentos, mas não prestamos atenção a eles — não porque queiramos intencionalmente desobedecê-lo, mas porque não o amamos e respeitamos quanto deveríamos. “Se me amais, guardareis os meus mandamentos” (João 14:15). Uma vez que compreendamos que temos constantemente desrespeitado a Deus, sentiremos profunda vergonha e humilhação por ignorá-lo.

“Fala-nos tu […]; porém não fale Deus conosco…”. Demonstramos quão pouco amor temos por Deus à medida que preferimos ouvir Seus servos em vez de ouvi-lo diretamente. Gostamos de ouvir testemunhos pessoais, mas não queremos que o próprio Pai nos fale individualmente. Por que nos atemorizamos tanto por Deus falar conosco? É porque sabemos que quando o Senhor fala conosco devemos, sem demora, fazer o que Ele pede ou dizer-lhe que não o obedeceremos. Mas se é apenas um dos servos de Deus falando conosco, sentimos que a obediência é opcional; não é imperativa e, respondemos, dizendo: “Bem, entendo que é isso que você pensa; ainda que eu não negue que o que você disse, provavelmente, seja uma verdade divina.”

Estou constantemente desprezando o Senhor, ignorando-o, ainda que Ele continue amavelmente tratando-me como Seu filho? Assim que eu finalmente me disponha a ouvi-lo, a humilhação que amontoei sobre Ele retorna a mim. E minha resposta passa a ser: “Senhor, porque fui tão insensível e obstinado?” Este é invariavelmente o resultado, uma vez que ouçamos Deus. Mas o nosso verdadeiro prazer em ouvi-lo é temperado com uma pitada de vergonha que sentimos por termos levado tanto tempo para chegar a essa conclusão.

–Oswald Chambers